Superintendência Regional de Educação SJDR




 
 
QUEM SOMOS
 

APRESENTAÇÃO

 

A Superintendência Regional de Ensino de São João del-Rei tem por finalidade exercer, em nível regional, as ações de supervisão técnica, orientação normativa e de articulação e integração, o que exige um criterioso planejamento, nucleado naquilo que é mais precioso à sociedade: a oferta de educação pública e de qualidade, capaz de gerar conhecimento e formar  crianças e jovens para a vida cidadã, solidária e produtiva.

 

Na gestão de todas as instituições, o planejamento é uma importante ferramenta, pois oportuniza um momento de reflexão sobre o que vem sendo feito e sobre o que ainda deve ser implementado. Na gestão de uma instituição de educação pública, essa ferramenta torna-se ainda mais importante e o planejamento já faz parte do cotidiano.

 

O PDI da Instituição busca dar respostas a duas questões essenciais: o que planejamos para nossa Instituição para os próximos três anos? Quais são as condições de que dispomos para alcançar este futuro pretendido?

 

Nosso trabalho está fundamentado em grandes desafios:

 

v  Autonomia Institucional com ética, transparência e responsabilidade social;

 

v  Gestão em rede;

 

v  Ser referência em educação na região e no Estado;

 

v  Valorização dos profissionais da Educação;

 

v  Melhoria do nível de atendimento e satisfação dos servidores e alunos.

 

Definir a identidade institucional da SRE/São João del-Rei, a qual certamente tornará a SRE referência no Estado, exige um planejamento construído conjuntamente, num processo de comprometimento e aprendizado constantes. O envolvimento de todos faz reorientar todo o trabalho e rever os sonhos.

 

Este PDI reflete as expectativas iniciais dos gestores quanto à nova gestão e aos resultados esperados. É importante destacar que este trabalho tem por base a crença de que o sucesso do planejamento de uma instituição transcende a mera elaboração de planos. Em uma instituição educacional, planejar é mais do que isto: é propor, executar, criticar e recomeçar, sempre. Só assim é possível transformar sonhos em ações que, concretizados, conduzam a SRE à posição de excelência em todos os níveis, pautado em valores, princípios e compromissos sociais e inclusivos, e todas as demais oportunidades que o futuro nos reserva.

 

 

EQUIPE GESTORA

 

 

v  Diretor II – Ana Lúcia Lobão Rezende Fam

v  Assessora – Natália Aparecida Resende

v  Diretor I – Ângela Maria Barbosa Santos

v  Diretor I – Maria Aparecida Mendes

 

 

  1. PERFIL INSTITUCIONAL

 

 

      São João del-Rei

 

 

      Decreto 5433 de 08 de Julho de 1958, Lei 2610 de 08 de Janeiro de 1962 e Decreto 7360 de 02 de Janeiro de 1964

 

 

      Em 1958, a 21ª Delegacia Regional de Ensino de São João del-Rei funcionava, primeiramente, como Agrupamento de Inspetoria Seccional de Ensino, tendo como Inspetor-Chefe o Sr. José Américo da Costa.

1.1.  IDENTIFICAÇÃO DA SRE:  

                     

1.2. BASE LEGAL E NORMATIVA:   

 

                 

 

 

 

1.3.   SÍNTESE HISTÓRICA:      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1964, foram criadas pelo Governador do Estado de Minas Gerais as Delegacias Regionais de Ensino, para possibilitar a descentralização administrativa nos três níveis de ensino: primário, médio e superior.

 

Nossa cidade, entre as muitas indicadas, teve o privilégio de ser escolhida para a sede de uma dessas Delegacias, ajustada que estava aos critérios adotados para a escolha: facilidade de acesso entre a área de abrangência, sede de desenvolvimento cultural, social e econômico, facilidade de comunicação com a capital do Estado, posição geográfica favorável, densidade demográfica.

 

De acordo com a necessidade e conveniência do serviço, várias portarias e resoluções foram definindo sua estrutura e atribuições. Sua ação ganhou maior vulto a partir de 1° de janeiro de 1968, com as determinações da Portaria 40/67, que implantava definitivamente o sistema de descentralização administrativa do Estado.

 

Passaram, então, à jurisdição das Delegacias Regionais de Ensino, muitas das atribuições que até então eram de competência da Secretaria de Estado da Educação. Tal sistema facilitou a racionalização do serviço público pelo melhor controle das atividades e pelo atendimento às Escolas, além da dinamização de toda a máquina administrativa do Estado, favorecendo  a comunicação entre o governo e  os municípios.

 

Em 1994, houve mudança de denominação para Superintendência Regional de Ensino.

 

Desde a época em que ainda funcionava como agrupamento até hoje, passaram por esta casa  Inspetores-Chefes, Delegados ou Superintendentes: Avany Villena, Sylvia Teodoro de Souza, Marília Martins Ferreira, Maria do Carmo Gaede, Maria Lygia Rodrigues Leão, Cléa Santos Cardoso, Dora de Souza Parma, Nelson Antunes de Carvalho, Maria Luiza Carneiro, Valderez Dias Beltrão, Alberto Magno da Silva, Antônio Carlos de Jesus Fuzatto, Maria de Lourdes Lourenço de Oliveira e, atualmente, Ana Lúcia Lobão Rezende Fam.

 

1.4. NATUREZA INSTITUCIONAL

 

Nome da Instituição: Superintendência Regional de Ensino de São João del-Rei

 

Nome da Entidade Mantenedora:   Secretaria Estadual de Educação

 

Base Legal de Criação e Funcionamento:

v  Decreto 5.433, de 08 de julho de 1958 - instituiu o Agrupamento de Inspetoria Seccional

v  Lei 2.610, de 08 de janeiro de 1962 e Decreto 7.360 de 02 de janeiro de 1964 – criação das Delegacias Regionais de Ensino

                                              

 

1.5. INSERÇÃO REGIONAL

 

A SRE-São João del-Rei tem um impacto significativo em Minas Gerais. Essa Mesorregião é composta por três Microrregiões: a Microrregião homogênea de São João del-Rei, a Microrregião de Lavras e a Microrregião de Oliveira.  Ela atende a 19 municípios conforme tabela abaixo:

 

MICRORREGIÃO

CIDADE

POPULAÇÃO

Oliveira

Bom Sucesso

17.194

Ibituruna

2.870

Lavras

Carrancas

3.485

Ijaci

5.434

Ingaí

2.554

Itumirim

6.556

Itutinga

4.037

São João del-Rei

Conceição da Barra de Minas

4.098

Coronel Xavier Chaves

3.308

Dores de Campos

9.034

Lagoa Dourada

12.343

Nazareno

7.440

Prados

7.911

Resende Costa

10.731

Ritápolis

5.216

Santa Cruz de Minas

7.910

São João del-Rei

82.293

São Tiago

10.623

Tiradentes

6.498

 

 

 

A sede da SRE-São João del-Rei está a 185 km de Belo Horizonte. O centro das atenções está na posição histórica da maioria dos seus municípios, uma vez que foram marcados pela corrida ao ouro e às pedras preciosas, principalmente, no século XVIII, em Minas Gerais.

 

 

A microrregião foi palco do nascimento da Inconfidência Mineira, de conflitos como a Guerra dos Emboabas, por volta de 1707 – 1709, e de toda uma efervescência, cultural, econômica e social que se deu em razão destes fatos históricos e que influencia até hoje.

 

A atual Tiradentes, Vila São José no passado, teve iniciada sua povoação por volta de 1702, enquanto a São João del-Rei é atribuída a data de 17/04/1705. Não é dado a Tiradentes um importante registro cultural no período inicial da sua história, mas a grande repercussão se deu no movimento da Inconfidência Mineira.

 

Do mesmo modo, a cidade de Prados pertenceu à Vila São José, de 1718 a 1891, quando passou a município autônomo. A cidade sempre se destacou na área  cultural, sobretudo no campo da música, tendo como exemplo, a Corporação Banda-Lira Ceciliana, que foi fundada em 1858 e, até hoje, mantém orquestra sacra, banda de música e coral.

 

A microrregião foi ocupada em decorrência das bandeiras, empreendidas por portugueses e bandeirantes paulistas. Nota-se na origem dos municípios que compõem a região a quase predominância desta decorrência. O acervo histórico desperta um interesse pela Microrregião e  resulta em um fenômeno da sociedade moderna, o turismo, que se faz presente em alguns dos municípios da Microrregião de São João del-Rei.

 

Na área da economia e finanças, a primeira atividade determinante e que originou a formação aglomerada – arraiais, povoados e vilas- foi o empreendimento da cata do ouro e de pedras preciosas. Durante um século, esta atividade sustentou a povoação e o conseqüente crescimento populacional, bem como as manifestações políticas, sociais e culturais. Esta atividade é tipificada pelo aspecto temporário, em razão da exaustão. Com o esgotamento das minas, a atividade agropecuária é que vai ter maior relevância.

 

A atividade agropecuária é caracterizada pela agricultura de subsistência, com pequenos excedentes para comercialização e pela criação de gado leiteiro, com produção de laticínios, bem como de eqüinos das raças campolina e mangalarga. Predomina até os dias atuais, a propriedade de pequeno porte que, em média, não chega a 48 hectares.

 

Por outro lado, o município de Lagoa Dourada apresenta o maior número de estabelecimentos rurais da Microrregião, superando o município de São João del-Rei. Possui duas vezes a área em hectares, destinada para os estabelecimentos rurais. Isto faz com que Lagoa Dourada tenha a menor média em hectares para os estabelecimentos rurais.

 

A Microrregião tem apresentado uma diminuição na força de trabalho na atividade rural contra um crescimento da atividade urbana. A representatividade da população rural na população total é de decréscimo na ordem de 2,71%. A produção agropecuária, no entanto, vai ser determinante, praticamente, como subsistência no meio rural.

 

Nas cidades fora da sede Microrregional São João del-Rei, as pequenas indústrias, basicamente impulsionadas pelos integrantes familiares e para atendimento à clientela local, foram determinantes até os últimos anos do século XX.

 

Entre as atividades industriais desenvolvidas na região, encontram-se a produção de ferro-ligas, mineração e atividade manufatureira. Diversas ações vêm sendo empreendidas, visando ao estímulo da atividade turística, já em pleno desenvolvimento em cidades como Tiradentes, Prados e Resende Costa.

 

A tipicidade econômica da região, onde prevalece o pequeno negócio, seu conservadorismo administrativo e sua tradição cultural requerem uma parceria no sentido da modernização e inovação, configurando-se aí, portanto, um grande desafio para uma Superintendência Regional de Ensino que se queira integrar à comunidade.

 

A arquitetura, a pintura e a escultura produzidas na região colocam a cidade em posição de destaque no cenário cultural brasileiro. Também a literatura e o teatro exerceram importante papel na formação cultural de São João del-Rei, tendo a cidade exibido, nos séculos XVIII e XIX, importantes casas de espetáculos, recebido grandes companhias e produzido uma rica dramaturgia, a exemplo do Clube Teatral Artur Azevedo e seu rico acervo documental. A música, por sua vez, representa, hoje, uma marca importantíssima da cidade. A sobrevivência de dois grupos musicais, orquestras entre as mais antigas das Américas ainda em atividade, demonstra a vocação da região, proporcionadora de um precioso acervo musicológico, representante do chamado “barroco mineiro”. Também, em Tiradentes e Prados, encontram-se grupos musicais antigos e acervos valiosíssimos.